Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Paulo Fatela

Blog sobre artes, ofícios, paixões e diversas questões

Paulo Fatela

Blog sobre artes, ofícios, paixões e diversas questões

Embalagem



No caso temos um saco em pano crú com uma etiqueta (texto / enquadramento da peça "Era uma vez uma coruja..." e um vegetal - esboço da imagem que se encontra no interior da embalagem), são, igualmente, utilizados outros materiais tradicionais, tais como fio ensebado e caules de junco, por forma a conferir cunho "Artesanato", na dualidade: Tradição/Inovação.

Imans - Coruja / Símbolo de Coruche

São pequenas peças em madeira de pinho; pintadas a acrílico; tècnica de vígulas e pintas; cromático - tendência primavera/verão 2012. 

"Era uma vez  uma coruja..."

Poderia ser este o início da História de Coruche. Segundo a lenda, a máquina do tempo levar-nos-ia ao ano de 308 A.C., altura em que os povos Celtas invadiram a Península Ibérica. Apesar de controversa existe uma versão que atesta que o primeiro nome da povoação tenha sido coruja, existindo referências ao primeiro brasão de armas como sendo uma coruja em escudo de prata.

Não obstante a lacuna de evidências históricas, a coruja não abandonou a heráldica da vila continuando a ser, até aos nossos dias, um símbolo de Coruche. 

Exposição: Pastorinhos de Fátima



Por convite do Sr. Padre João Luís, irei participar com uma peça: 

pintura - acrílico sobre madeira, são imagens clássicas nas quais utilizei a técnica de sombras, pintas e vírgulas, com acabamento a tinta de óleo. A VISITAR!