Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Paulo Fatela

Blog sobre artes, ofícios, paixões e diversas questões

Paulo Fatela

Blog sobre artes, ofícios, paixões e diversas questões

Artigo "Mãos com Alma" na integra, considerando que o publicado no jornal omitiu a nota biográfica da visada - Artesã - Lina Fernandes

“Mãos com Alma”

Artesanato – Arte Popular

 

                                           

                                                                                          
Paulo Fatela / Artesão

 

 

“Mãos com Alma” é um espaço de divulgação/promoção do ARTESANATO, surge com o mesmo objectivo da rubrica “Artesanato em Coruche”, a qual esteve integrada no “Jornal de Coruche”. Na rubrica “Artesanato em Coruche” foram visados vinte e oito Artesãos e publicados vários artigos sobre actividades relacionados com Artesanato. Pretende-se, aqui no “Jornal Lezírias”, para além de dar a conhecer ou a conhecer melhor os Artesãos com vínculo a Coruche, abordarmos, também, não de forma exaustiva, algumas temas subjacentes ao Artesanato Tradicional e  Contemporâneo/Urbano. Assim sendo, iniciamos com Artesanato Tradicional, “Lenços dos Namorados”, peças de amor. È obrigatório sentir AMOR pelo Artesanato e haver entrega, para que consigamos despertar mais e mais interesse por esta Arte Popular.

 

 “Lenços dos Namorados”

 

A história dos Lenços dos Namorados remonta aos séculos XVII e XVIII, são símbolos maiores de histórias de amores e desamores, primeiro chamados Lenços Senhoris (porque terão surgido nos salões senhoris da época). Os lenços, quadrados de linho bordados a ponto de cruz a preto e vermelho, eram feitos por bordadeiras de classe social mais elevada.

É a partir deles que vão aparecer depois os Lenços dos Namorados, mais populares, com quadras de amor muito ingénuas e com erros ortográficos, face à linguagem oral minhota, policromáticos (o típico colorido minhoto), bordados a ponto-pé-de-flor e outros pontos mais simples que o ponto-de-cruz, com decoração menos geométrica e mais variada.

Estes lenços, que eram também um simples adorno quando usados à cintura das raparigas no seu trajo de festa, celebrizaram-se pelo compromisso amoroso que estava implícito.

Depois de bordado o lenço ia ter às mãos do “namorado” ou “conversado” e era em conformidade com a atitude deste de usar publicamente ou não, que se decidia o início duma ligação amorosa.

Os lenços carregam consigo, por isso, os sentimentos amorosos duma rapariga em idade de casar, revelados através de variados símbolos amorosos como a fidelidade, a dedicação, a amizade, etc.

Como é sabido, o Minho surge por excelência como a região de origem dos Lenços dos Namorados. Felizmente este património não foi esquecido e consegue estar entre nós graças sobretudo e em primeiro lugar aos incentivos institucionais locais e outros.

Não obstante a produção de Lenços de Namorados, ter efectivamente a sua maior expressão no Minho, ela surge uma pouco por todo o país, incluído Coruche.

Joaquina Mendanha, artesã de Coruche, apaixonada por bordados e pelos Lenços dos Namorados, tem incentivado outras bordadeiras a dedicarem-se à produção dessas peças, nomeadamente a visada nesta rubrica: Lina Fernandes.

 

Bibliografia:

Cunha, Mário Vilhena e Artesanal, Aliança  – Lenços dos Namorados escritas de Amor – ano de edição 2005

Duraud, Jean Yves  Lenços dos  Namorados - Município de Vila Verde – ano de edição 2008

http://www.santosoficios-artesanato.pt/

                                                                                                        

Artesã: Lina Fernandes / Freguesia Coruche

 

 

Lina Fernandes, refere que sempre sentiu o gosto por bordados, e pelo requinte que esse trabalho manual encerra. Considera-se uma autodidacta, iniciou as primeiras peças de forma empírica, mais tarde foi aperfeiçoando a técnica através de ensinamentos administrados pela sua amiga, Joaquina Mendanha, mestre em costura e bordados.

Por iniciativa da amiga Joaquina, começou há já algum tempo a produzir “Lenços de Namorados”, fazendo réplicas de peças a que teve acesso, e fazendo outros usando a sua criatividade, mas mantendo-se, sempre, fiel ao tradicional, quer ao nível dos materiais quer das imagens.

Para além dos Lenços dos Namorados, borda sacos (taleigos), com a mesmas características, ou seja, usando o policromático nas linhas, o bordado a  ponto-pé-de-flor, a mesmas imagem,  mas numa base de tecido e algodão de cores diversas.

Associou-se à CORART- Associação de Artesanato de Coruche, para que dessa forma pudesse mostrar as peças e comercializá-las.

Através da Associação de Artesanato tem participado em mostras colectivas, nomeadamente na Feira Internacional do Artesanato em Lisboa.

 

 

Dimensão:0.32mx0.32m

Material utilizado: linho, linhas filoséle DMC

Ponto: ponto-pé-de-flor; ponto cheio; ponto caseado


  

Dimensão:0.31mX0.31m

Material utilizado: linho, linhas filoséle DMC

Ponto:: ponto-pé-de-flor; ponto cheio; bainha com ajour

 

 

Dimensão:0.28mX0.28m

Material utilizado linho, linhas Perlé (Âncora)

Ponto: ponto-pé-de-flor; ponto cadeia

 

 

Dimensão:0.28mX0.28m

Material utilizado: linho, linhas filoséle DMC

Ponto: ponto-pé-de-flor e ponto nozinhos

 

Saco (Taleigo)

Dimensão:0.16mX0.22m

Material utilizado: pano de algodão; linhas filoséle DMC

Ponto: ponto-pé-de-flor

 

Lina Fernandes, poderá ser contactada na CORART – Associação de Artesanato de Coruche – Largo João Felício – Coruche

 

Fotos por Paulo Fatela

Agradecimento: Joaquina Mendanha (cedência de matérias e local para produção fotográfica)